Você já parou para pensar em como será que os seus colaboradores enxergam o próprio trabalho? Há algo que, para eles, se relaciona com os seus propósitos e valores? Eles veem sentido nas tarefas que executam?

Para compreensão dessas relações é que foi criado o conceito de job crafting. Você, profissional de RH, precisa estar por dentro dessa grande novidade da gestão de pessoas em empresas! Confira no post:

O que é Job Crafting?

O Job Crafting é um conceito que auxilia muito a compreensão das mudanças necessárias na gestão de pessoas, contratações e estímulos de engajamento dos funcionários.

De forma prática, o termo se refere à uma ressignificação da percepção do trabalho, que envolve o redesenho do sentido da própria ocupação.

É a aplicação e incentivo à proatividade no dia a dia, ou seja, deixa-se um pouco de lado a percepção de que o colaborador deve executar apenas o que é apresentado na descrição da vaga.

O funcionário passa a ser coautor, de fato, de suas responsabilidades, sendo capaz de trazer, para si, o encargo da vivência de boas experiências no ambiente de trabalho, as quais podem estar alinhadas aos seus objetivos, valores, talentos e interesses.

Em outras palavras, o job crafting acontece quando o funcionário vai além do que é descrito em seu escopo de trabalho, passando a aproveitar as oportunidades para usar melhor todas as suas potencialidades, de forma a tornar seu trabalho algo realmente significativo.

Essa nova abordagem da gestão de pessoas é fundamental pois esse é, cada vez mais, identificado como um tipo de incentivo importante para o perfil da atual geração de profissionais, e é uma tendência cada vez mais confirmada por quem pesquisa sobre o futuro da gestão de RH.

É fácil chegar à conclusão de que o job crafting pode trazer uma série de benefícios para as empresas, tais como o aumento da motivação e engajamento dos funcionários, redução do turnover, melhoria de performance e resultados, descoberta de novos líderes, melhoria na comunicação, e inúmeros outros.

Como aplicar o job crafting?

Agora que você já compreendeu o que é o job crafting, vem a importante dúvida: como aplicar esse conceito no dia a dia da empresa?

É importante ter em mente que, se o funcionário se encontra sobrecarregado de tarefas, dificilmente ele conseguirá ter tempo para, de fato, pensar estrategicamente no sentido de redesenhar e ressignificar o seu trabalho.

Portanto, durante a implementação, não deixe de refletir em como redistribuir as tarefas para que o colaborador se sinta disponível e motivado a aderir à nova abordagem. Isso pode ser feito através de mudanças de processos e/ou uso de novas tecnologias, definição da ordem de prioridades, etc.

Além disso, seja bastante claro ao explicar a importância e benefícios a curto, médio e longo prazo que o job crafting pode trazer.

Para que o colaborador deixe de ver o próprio trabalho apenas como uma obrigação e sim como algo motivador e cheio de possibilidades, é necessário transformar o ambiente de trabalho caso ele seja muito engessado e tradicional.

Abrir espaço para o diálogo e a realização de feedbacks – positivos e negativos – podem contribuir muito para essa mudança de percepção. A comunicação é, sem dúvidas, um dos divisores de água mais importantes para implementação do job crafting.

A responsabilidade do setor de RH deve estar sempre pautada em promover o desenvolvimento pessoal e profissional dos colaboradores e, dar início ao job crafting na sua empresa é, sem dúvidas, um bom ponto de partida!

O que você acha do Job Crafting? Está pensando em implementar? Conte pra gente nos comentários!